FACULDADE IESCAMP

Sobre a Faculdade

A Faculdade IESCAMP iniciou suas atividades em 2006, com os cursos de Bacharelado em Administração e Licenciatura em Pedagogia. A aceitação pela comunidade da nova instituição superior de Campinas foi positiva e se identificou a demanda para abertura de novos cursos na área de Tecnologia, sendo eles: Gestão de Recursos Humanos, Marketing e Logística, em 2009; Análise de Desenvolvimento e Sistemas e Comércio Exterior, em 2013 e, mais recentemente, Gestão da Tecnologia da Informação.

Hoje a IESCAMP oferta ainda, cursos de Extensão (curta duração) e de pós-graduação em áreas que proporcionam a formação continuada para as graduações.

A estrutura física moderna, com instalações utilizando tecnologias de última geração e um corpo docente qualificado com as títulações de especialistas, mestres e doutores consolidam o compromisso da IESCAMP em formar profissionais preparados para vencer os desafios do mercado de trabalho e serem cidadãos autônomos e críticos.

Assim, faz parte do cotidiano da IESCAMP, a convivência harmônica e a vivência de valores éticos, políticos e cívicos, que contribuam para a formação de pessoas capazes de se autorrealizar e participar construtivamente da sociedade.

Missão

Ser uma instituição de ensino superior comprometida com o desenvolvimento da cultura de aprendizagem, que valoriza o pensamento crítico e a autonomia intelectual de seus acadêmicos, para continuarem aprendendo ao longo da vida.

Visão

Constituir-se como referencial de excelência administrativa e acadêmica do ensino superior na Região Metropolitana de Campinas, por meio da inovação e da responsabilidade socioambiental.

Valores

Desenvolvimento de consciência crítica da realidade; Comprometimento ético pautado nos princípios de solidariedade e responsabilidade socioambiental; Desenvolvimento da consciência de que os interesses coletivo e individual são igualmente importantes para o equilíbrio das relações sociais; Estímulo à inovação e à criatividade para a construção e socialização da comunidade da aprendizagem.
Desenvolvimento pleno das pessoas, seu prepara para a cidadania e sua qualificação para o trabalho (CF. Art. 205).

Presidente
Profª Seviana Cristina Navarro

Diretora Geral
Profª Drª Regina Móvio de Lara

Mantenedora
SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURAL RAPHAEL DI SANTO

Credenciamento

Portaria de Credenciamento Nº- 1.222, DE 14 DE ABRIL DE 2005

O Ministro de Estado da Educação, Interino, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto no 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho no 571/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº 23000.009507/2003-85, Registro SAPIEnS nº 20031006092, do Ministério da Educação, resolve:

Art. 1o Credenciar o Instituto de Educação e Ensino Superior de Campinas, a ser estabelecido na Rua Antônio Ferreira Laranja, nº 57, Bairro Jardim Garcia, na cidade de Campinas, Estado de São Paulo, mantido pela Sociedade de Educação e Cultura Raphael Di Santo S/C Ltda., com sede na cidade de Campinas, Estado de São Paulo, aprovando neste ato o seu Plano de Desenvolvimento Institucional, pelo período de cinco anos.

Art. 2o Aprovar o regimento do Instituto de Educação e Ensino Superior de Campinas, o qual prevê o instituto superior de educação como unidade acadêmica específica.Art. 3o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

JAIRO JORGE DA SILVA
Publicada no DOU Nº 72, sexta-feira, 15 de abril de 2005 – Seção 1 – Pág. 15

Núcleo de inclusão e diversidade social

Cada sujeito possui a necessidade de se inter-relacionar com o meio no qual está inserido. Essas inter-relações ocorrem por intermédio das trocas de experiências e vivências adquiridas pelos sujeitos e se constituem os saberes enriquecedores da base social. Tais questões envolvem a inclusão de cada sujeito no meio social, independentemente de sua natureza e individualidade.

Nesse sentido, para estabelecer uma ação de inclusão, primeiramente, é necessário observar e identificar quais seriam aqueles que estariam sistematicamente excluídos da sociedade, ou seja, que não gozam dos seus benefícios e direitos básicos, tais como: saúde, educação, trabalho, renda, lazer, cultura, entre outros.

Dialogar sobre a inclusão é discorrer sobre a democratização dos diferentes espaços e dos direitos, para aqueles que possuem acesso negado, bem como seus direitos desrespeitados perante a sociedade. No que diz respeito ao direito à educação, a Constituição Brasileiro de 1988 aponta em seu Artigo 205 que “a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.

Tendo em vista a necessidade da inclusão social atrelada a diversidade existente na sociedade e em cumprimento ao que diz a Constituição, bem como as demais legislações que garantem a inclusão e a diversidade social, que deverão ser tratadas no currículo das instituições de ensino, a Faculdade IESCAMP, por meio do Núcleo de Inclusão e Diversidade Social – NIDS, tem fomentado diversos projetos visando contribuir, de forma direta e indireta,  o cumprimento de suas políticas de responsabilidade social junto à comunidade interna e externa.

Tais ações destinam-se a assegurar e a promover as condições de igualdade ao exercício dos direitos e das liberdades fundamentais dos sujeitos excluídos.Assim, para assegurar e cumprir com as legislações pertinentes à inclusão e diversidade social, o NIDS – Núcleo de Inclusão e Diversidade Social desenvolverá ações em parceria com outros serviços já oferecidos pela IES: NAD- Núcleo de Apoio Psicopedagógico e o NUPE- Núcleo de Apoio Psicopedagógico.

O NAD e o NUPE visam, entre outros objetivos, identificar, acompanhar e encaminhar alunos inseridos na especificação da lei, a fim de colaborar para aprofundar os conhecimentos de seus docentes e discentes, oferecendo-lhes subsídios, informações e assessoramento educacional para a formação integral, cognitiva, relação intrapessoal e interpessoal, inserção profissional e social, para que todos possam ter acesso a uma educação de qualidade.

Desta forma todos os sujeitos com deficiência de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que fizerem parte da Faculdade IESCAMP serão identificados e incluídos em ações que visam sanar as necessidades inerentes ao seu processo de ensino-aprendizagem propiciando sua inter-relação, consequentemente sua inclusão social.

NIDS- Núcleo de Inclusão e Diversidade Social tem o objetivo de colaborar para que todas as pessoas possam ter acesso a uma educação de qualidade.

Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm

Decreto nº 5.626/2005 (Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000.)
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm

Norma Brasileira ABNT NBR 9050/2004
http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/arquivos/%5Bfield_generico_imagens-filefield-description%5D_24.pdf

Lei nº 10.098/2000 (Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências.)
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L10098.htm

Decreto nº 5.296/2004 (Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências.)
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5296.htm

Decreto nº 6.949/2009 (Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007.)
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm

Decreto nº 7.611/2011 (Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências.)
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm

Portaria nº 3.284/2003 (Dispõe sobre requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, para instruir os processos de autorização e de reconhecimento de cursos, e de credenciamento de instituições.)
http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port3284.pdf 

Lei nº10.639/2003  (Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”)
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm

Lei nº 11.645/2008  (Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm

Resolução CNE/CP nº1/2004 (Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações ÉtnicoRaciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana)
http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/res012004.pdf

Parecer CNE/CP nº3/2004
http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/003.pdf

Estatuto da Igualdade Racial
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12288.htm

Parecer CNE/CP nº8 de 06/03/2012  (Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos).
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10389-pcp008-12-pdf&category_slug=marco-2012-pdf&Itemid=30192

Resolução CNE/CP nº 1 de 30/05/2012 (Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos).
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10889-rcp001-12&category_slug=maio-2012-pdf&Itemid=30192

Estatuto da Criança e do Adolescente
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm

Estatuto do Idoso
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.741.htm

Constituição Federal
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm